Você sabe tomar vinho?

Descubra se você tem tomado essa bebida da maneira certa e aproveitado o melhor dela!

Você que está iniciando no mundo dos vinhos, precisa saber estas regrinhas básicas, que vão lhe proporcionar a real experiência com a bebida. Isso vale também para você que já experimentou e não gostou, pois as chances são grandes de não ter consumido a bebida da maneira certa, a qual influenciou, principalmente, o sabor. E, para quem já ama, você sabe tomar vinho?
Há quem diga que vinhos são bebidas requintadas, complexas ou cheias de manias. Entretanto, o fato de o vinho ser sim uma bebida sofisticada não anula a ideia de que ele pode e deve ser consumido por qualquer pessoa. A verdade é que o vinho pede de fato mais atenção do que outras bebidas, mas isso é para lhe proporcionar uma experiência especial, acrescentando-se aos momentos inesquecíveis.

Então, confira abaixo os principais erros, que podem estar impedindo você de aproveitar a qualidade do vinho!

Encher a taça
Esse é um dos erros mais comuns. Não se serve a taça toda por algumas razões:

  •         Não dá para agitar – quando você dá uma leve agitada na bebida dentro da taça, você contribui para a oxigenação dela, ajudando-a a liberar os aromas. Isso faz com que o vinho dentro da taça alcance notas específicas e, assim, melhor é a harmonia ao seu paladar e, é claro, ao olfato. Pois, lembrando, o vinho ficou na garrafa por muito tempo, por isso é interessante esse gesto de agitar.
  •         Evitar que a bebida esquente – com a taça muito cheia, obviamente, leva-se mais tempo para consumir a bebida, prejudicando o sabor e o aroma dela ao longo do tempo.

Então, a dica é, sirva apenas um terço da taça.

Falta de harmonização
Assim como o gosto de alguns alimentos sobrepõem-se a outros, podem também se sobrepor à bebida e vice-versa. Se você gosta de beber vinho na companhia de algum prato, saiba que existem tipos que combinam melhor com certos alimentos. Assim, você terá uma experiência excelente, além de conseguir realçar os sabores de sua refeição.
Como exemplo, carne vermelha harmoniza com vinho tinto. Enquanto o vinho branco ou Rosé harmoniza com carne branca. Porém isso não é regra, até porque existem exceções.

Gelado demais ou gelado de menos
Essa é uma regra que não dá para brincar, pois a temperatura é capaz de influenciar bastante na percepção da bebida. A exemplo disso é beber vinho tinto muito gelado, o qual pode fazê-lo parecer muito amargo, isto é, realça os taninos, deixando um retrogosto na boca que não agrada; ou bebê-lo quente, fazendo-o parecer alcoólico demais. Além disso, quando se fala: sirva o vinho tinto à temperatura ambiente, é de 18 °C. Logo, em cidades mais quentes é necessário refrigerá-lo.
Outro exemplo são os vinhos brancos, os quais recomenda-se beber bem gelados. Temperatura média de 9 °C. Por isso, ao optar por um vinho branco no restaurante, peça também um baldinho com gelo.

Servir em uma taça qualquer
Querendo ou não, a taça pode afetar a sua experiência com a bebida! Bem sabemos que existem uma imensa variedade de taças no mercado. E qual escolher? Bom, depende. É vinho tinto encorpado? Então, opte por taças maiores, com bojo largo e borda estreita, justamente, para a bebida conseguir dispersar os aromas, e não deixar que eles se percam. Essas são a famosa categoria de taças Bordeaux.
Mas, em casos de tintos mais complexos ou de velha guarda - um "Reserva" ou "Gran Reserva" - a taça ideal é a Borgonha, de bojo grande e borda mais aberta. Essa taça aumenta o contato da bebida com o ar, e isso libera o chamado buquê mais rapidamente.
Já para o vinho branco e rosé a taça também deve ser longa, porém com o bojo menor, pois o vinho branco não precisa de oxigenação. Além disso, esse tipo de taça é ideal para conservar a temperatura da bebida, já que são menores e, portanto, o consumo é mais rápido.
É interessante também destacar que a taça deve ser segurada pela haste – a região mais alongada da taça. Isso evita o contato da mão diretamente com a bebida e, assim, não há trocas bruscas de temperatura.
Embora em regiões de clima mais ameno, é comum segurar a taça de vinho tinto pela parte de baixo do bojo, com a intenção de transferir calor das mãos para a bebida.

Guardar por muito tempo após abertos
Vinhos têm vida útil curta após abertos, cerca de apenas 3 dias. Então, não é aconselhável abrir uma garrafa e deixá-la vários dias na geladeira. Certamente, a sua próxima experiência não será nada agradável!
Outro erro comum é guardar o vinho sem a rolha ou levemente rosqueado. Isso prejudica mais ainda a bebida, causando uma rápida deterioração em bem menos do que 3 dias.
Caso a rolha se perca no momento da retirada ou algo semelhante, existem vedantes específicos, que realizam melhor o processo de vedação após aberto, do que as próprias rolhas ou tampas.

Qual vinho tomar?
Dentre os principais tipos de vinhos - espumante, branco, rosé, tinto e suave – existem diferentes classificações. Um vinho pode ser leve, de corpo médio ou encorpado; pode também ser aveludado ou estruturado; além de ácido, alcoólico ou amadeirado, entre outras. Tais classificações atraem variados paladares. Por isso, caso você seja iniciante, certamente pode estranhar um vinho estruturado, ao sentir certa adstringência, em razão de ter muitos taninos.
Você pode começar pelos espumantes ou vinhos brancos, que são considerados mais leves e fáceis de beber, justamente, pela pouca presença de taninos, da nossa adega indicamos o Espumante Moscatel da Vinícola Santa Augusta e o Discórdia branco. Mas, caso não goste de brancos, um tinto aveludado de textura suave, agradável no paladar e com taninos amaciados é um ótimo começo. Dos tintos nosso apreciado Fartote com certeza pode te acompanhar nessa.
Para você que já toma, e quer explorar novos territórios neste encantador mundo dos vinhos, indicamos um vinho de corpo médio, elegante, macio na boca, mas sem deixar a estrutura de lado. Como é o caso do Dona Matilde Tinto.
Já os experientes podem agradar facilmente com vinhos de aromas e sabores intensos, bem pronunciados. Esses são vinhos mais encorpados, maduros e potentes. Então, sugerimos nossos marcantes vinhos Discórdia.
Tomar o tipo de vinho certo influencia profundamente em sua experiência prazerosa com a bebida. Ela é pensada e feita para agradar a todos os paladares, por isso é importante saber qual o melhor para cada situação.

Agora que você aprendeu a tomar vinho, vamos colocar essas habilidades em prática? Escolha alguns de nossos rótulos e se dê a chance de apreciar uma excelente e elegante experiência. Aproveite!

Deixe um comentário

Todos os comentários são revisados antes de serem publicados
Obrigado pela inscrição!